historia da filarmónica redondense

COMO TUDO COMEÇOU

A vila de Redondo é uma terra de artistas. Teve um teatro construído, em 1839, mais tarde denominado João Anastácio da Rosa, o mais antigo do distrito de Évora e que viria a ser destruído por um calamitoso incêndio, na madrugada de 27 de Março de 1932.

O edifício foi palco de uma intensa vida cultural, em que a arte de Talma e a arte da música se uniam harmoniosamente para preencher e vivenciar os espaços da sociabilidade redondense.

Período áureo da arte musical, na nossa terra, foi o tempo compreendido entre a Segunda metade do século XIX e a queda da Monarquia, em 1910. A Filarmónica 1.º de Dezembro, afeta ao partido Progressista e a Filarmónica Amizade, Patrocinada pelo Partido Regenerador rivalizavam entre si, à semelhança das forças partidárias que as financiavam, cenário propício para o crescimento das competências e capacidades musicais dos seus membros. As convulsões sociais, políticas e económicas trazidas pela República provocaram a decadência da arte musical, enquanto atividade estruturada e de grupo alargado: as duas bandas extinguiram-se e a vida musical sobrevive, graças às tunas que atuam esporadicamente nas récitas teatrais.

A Filarmónica Almeida Barrancos é fundada em 1927, devido ao empenho do seu primeiro regente, o casa piano António Manuel Molefas a uma Comissão de Iniciativa (composta por nove pessoas) e ao mecenato do Presidente da Câmara Municipal, da época, a quem em homenagem lhe é dado seu nome.

As suas primeiras atuações ocorreram a 10, 11, e 12 de Setembro de 1927, com grandiosas festas em honra de Nossa Senhora de Ao Pé da Cruz, em que estiveram presentes as Filarmónicas de S. Miguel de Machede e do Circulo Montemorense, de Montemor-o-Novo.

É, pois, a nossa Banda Filarmónica a herdeira direta de tradições musicais e artísticas que sempre existiram, na vila de Redondo. Em 1934, a coletividade, suporte da banda, sofre revisão de estatutos e adota o nome atual: Sociedade Filarmónica Municipal Redondense.

Em 2007, a Sociedade Filarmónica Municipal Redondense, celebrou os seus 80 anos de História ao serviço da Cultura.

Atualmente atravessa um período áureo, onde conta com uma Banda Filarmónica com cerca de 80 elementos, uma Banda Juvenil, vários Grupos de Música de Câmara e a Escola de Música funciona atualmente com cerca de 30 alunos.

Das inúmeras atuações da Banda Filarmónica em Portugal e no estrangeiro, Destacam-se: Espanha – Badajoz (2006), Oliva de La Frontera (2007), França – Gien (2008) e Açores – Ilha de São Miguel, Vila Franca do Campo (2011).

É de louvar o empenho das Direções, Maestro, Monitores da Escola de Música e Músicos que têm elevado o nome desta Sociedade para uma referência musical e cultural no panorama local, regional e nacional sendo a Banda da Sociedade Filarmónica Municipal Redondense uma das mais jovens e numerosas de Portugal.